Sobre a Raça

img - Sobre a Raça


Border Collie é um cão de pastoreio e trabalho, desenvolvido pelos britânicos há mais de cem anos. É uma raça portanto relativamente jovem, mas nem por isso suas origens são precisas, isso porque seus ancestrais já exerciam suas funções desde o século XIV. Os primeiros indícios da formação do Border Collie datam de 1570, quando os primeiros exemplares começaram a ser descritos.

Apesar de ser um cão extremamente popular em seu país de origem, o Border começou a ganhar reconhecimento no Brasil após sua participação em comerciais e em filmes, como o Babe, o Porquinho Atrapalhado

Desenvolvido para o trabalho, pode ser considerado por muitos um workholic. Sua principal característica é a capacidade de lidar especialmente bem com rebanhos. Em seu país de origem, estima-se que 98% de todas as propriedades rurais utilize cães para auxiliar no trabalho com o rebanho, e grande parte destes cães são borders.

Segundo o pesquisador Stanley Coren, autor do livro A Inteligência dos Cães, a raça está em primeiro lugar entre as 133 que tiveram sua inteligência de obediência e trabalho. De acordo com o levantamento, 190 dos 199 juízes participantes situaram o Border entre os dez melhores, o que lhe garantiu a liderança do ranking.

Além de suas atividades originais, o Border é um exímio atleta. Por suas características físicas, tem uma enorme agilidade e velocidade, o que garantiu à raça um papel de destaque nas competições de agility, fly ball e jumping. A superioridade dos border na prática do agility é tão acentuada que para eles foi criada uma categoria especial, onde concorrem apenas entre si, dando assim alguma chance às demais raças nas categorias gerais.

Uma característica marcante dos borders é a sua precocidade e energia. Segundo treinadores, os Borders começam seu desenvolvimento antes das demais raças e por isso estão 'prontos' mais cedo que os demais.

Apesar do tamanho e por ser um cão desenvolvido para o trabalho, não é recomendado para áreas pequenas onde não possa realmente gastar sua energia em atividades. Um border entediado é capaz de se transformar num cão bastante destrutivo e arteiro.

Há uma grande variedade de cores e marcações possíveis para o Border, normalmente em preto, marrom, vermelho, e até mesmo o azul merle, sobre fundo branco, que não deve ser predominante.

Confira o padrão da raça adotado pela CBKC 

Padrão da Raça

Grupo 1 - Cães Pastores e Boiadeiros (Exceto Boiadeiros Suíços). | Padrão FCI No 297 - 28/10/2009 (Texto atualizado em 20 de fevereiro de 2015)


APARÊNCIA GERAL: Bem proporcionado, de contorno suave demonstrando qualidade, graça e perfeito equilíbrio, combinados com substância suficiente para conferir uma impressão de resistência. Qualquer tendência à rusticidade ou debilidade é indesejável.

PROPORÇÕES IMPORTANTES

  • Crânio e focinho são aproximadamente do mesmo comprimento.
  • Tronco ligeiramente mais longo que a altura nos ombros.

COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: Tenaz, trabalha pesado e com grande sociabilidade. Perspicaz, alerta, receptivo e inteligente. Jamais nervoso ou agressivo.

CABEÇA

REGIÃO CRANIANA
Crânio: Razoavelmente largo; occipital não pronunciado.
Stop: Bem marcado.

REGIÃO FACIAL
Trufa: Preta, exceto para os exemplares de cor marrom ou chocolate, nos quais pode ser marrom. Nos azuis, a trufa pode ser cor-de-ardósia. Narinas bem desenvolvidas.
Focinho: Afinando para a trufa, moderadamente curto e forte.
Maxilares / Dentes: Dentes e maxilares fortes, com uma perfeita, regular e completa mordedura em tesoura.
Bochechas: Sem serem cheias ou arredondadas.
Olhos: Inseridos bem separados, de formato oval e tamanho médio; de cor marrom, exceto nos “merles”, onde um, ambos os olhos ou apenas parte de um ou de ambos poderá ser azul. Expressão meiga, penetrante, alerta e inteligente.
Orelhas: De textura e tamanho médios, inseridas bem separadas. Portadas eretas ou semi-eretas e atentas ao menor ruído.

PESCOÇO: De bom comprimento, forte e musculoso, ligeiramente arqueado e alargando em direção aos ombros.

TRONCO: De aparência atlética. É ligeiramente mais longo que a altura na cernelha.
Lombo: Profundo e musculoso, mas não esgalgado.
Peito: Profundo e bastante largo; costelas bem arqueadas.

CAUDA: Moderadamente longa, com a última vértebra alcançando, pelo menos, os jarretes; de inserção baixa; bem guarnecida de pelos e com a ponta curvada para cima, completando o contorno gracioso e equilíbrio do cão. A cauda poderá erguer-se em estado de excitação, jamais portada sobre o dorso.

MEMBROS

ANTERIORES: Pernas paralelas, quando vistas de frente; ossatura forte sem ser pesada.
Ombros: Bem inclinados para trás.
Cotovelos: Próximos ao corpo.
Metacarpos: Ligeiramente inclinados quando vistos de perfil.
Patas: Ovais; almofadas plantares espessas, fortes e saudáveis; dedos arqueados e juntos entre si. Unhas curtas e fortes.

POSTERIORES: Largos, musculosos; vista de perfil, a garupa é graciosamente inclinada para a raiz da cauda.
Coxas: Longas, profundas e musculosas.
Joelhos: Bem angulados.
Jarretes: Fortes e bem descidos.
Metatarsos: Dos jarretes ao solo, membros posteriores com boa ossatura e paralelos, quando vistos por trás.
Patas: Ovais; almofadas plantares espessas, fortes e saudáveis; dedos arqueados e juntos entre si. Unhas curtas e fortes.

MOVIMENTAÇÃO: Livre, suave e incansável, com um mínimo de elevação das patas, conferindo a impressão de habilidade para movimentação com grande cautela e velocidade.

PELAGEM

Pelo: Duas variedades: moderadamente longa e lisa. Em ambas, a pelagem de cobertura é densa e de textura média, subpelo macio e denso, fornecendo boa proteção contra intempéries. Na variedade de pelagem moderadamente longa a abundância de pelos forma uma juba, culotes e pincel. Na face, orelhas, anteriores (exceto para franjas) e posteriores do jarrete ao solo o pelo deve ser curto e liso.

COR: A variedade de cores é permitida. O branco jamais deverá ser predominante.

TAMANHO

Altura na cernelha: Machos: 53 cm. Fêmeas: ligeiramente menores.

FALTAS: Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão e em sua habilidade para executar seu trabalho tradicional.

FALTAS DESQUALIFICANTES

  • Agressividade ou timidez excessiva.
  • Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.

NOTAS:

  • Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.
  • Somente os cães clinicamente e funcionalmente saudáveis e com conformação típica da raça deveriam ser usados para a reprodução.


USAMOS E RECOMENDAMOS:
FILIADO:
CBKC - Confederação Brasileira de Cinofilia